Conecte-se com o Facebook

Folclore de Atibaia

Congadas

Ainda hoje em Atibaia celebra-se o Natal à moda antiga, com suas congadas e cavalhadas.

O que são congadas?

Congada é um grupo de pessoas, trajando calças brancas, com blusas de cor, enfeitadas de missangas e fitas, chapéu de palha, coberto de pano branco ou de cor, com fitas, missangas, etc..., que desfilam pela cidade, dançando, pulando e cantando.

Cada pessoa tem seu  uniforme, cujo capricho depende do "mestre".

Como são feitas?

Nas festas de Natal, que se realizam de 25 a 28 de dezembro iniciam os festejos com o levantamento dos mastros, cujas bandeiras, de Nossa Senhora do Rosário e São Benedito são levados e arvorados no largo do Rosário (em frente a igreja do Rosário), no dia 25 de dezembro. É o marco inicial da festa. Aí já aparecem as congadas.

No dia 26 acontece a "cavalhada" que procura "rei" e, encontrando-o desfila pela cidade, formando duas filas, uma de cada lado da rua e dando três voltas pelo centro leva o "rei" à igreja do Rosário, onde vai orar. Termina aqui a cavalhada.

Na manhã do dia 27, dia consagrado a Nossa Senhora do Rosário que, desde madrugada, com aquele cantar triste e alegre, é que começam os congo o seu desfile pela cidade.

Origem das congadas

Diziam os antigos, quando nasceu Jesus na Terra Santa, havia três reis: um branco, um negro e um cabloco. Os reis branco, querendo se livrar do nreto disseram que para ver o Senhor Menino precisava dar uma volta muito grande e lhe ensinaram o caminho errado.

Quando os brancos chegaram onde estava o menino Jesus, o rei negro já estava lá, então o Senhor Menino pegou uma coroa, pois na cabeça do rei nreto e disse: "Você é o rei dos Congos". Ele então foi chamar uma porção de negros que vieram dançar na frente do Menino, daí em diante surgiu a  CONGADA. É por isso que os reis da congada levam a coroa na cabeça.

Cavalhada

A cavalhada é uma tradição de Atibaia desde a sua fundação. Segundo Oscar Fagundes, "a cavalhada relembra a guerra entre os cristãos e os mouros e foi trazida para o Brasil pelos portugueses e espanhóis".

Antigamente realizavam-se diversas competições, que consistiam em retirar com a lança, manejada pelo cavaleiro, argolinhas colocadas em estacas. Havia também demonstrações de destreza e golpes de lança. Promovia-se também um "combate" entre "mouros" e "cristãos", sendo que estes últimos eram recrutados entre os melhores, pois deviam ganhar sempre.

Segundo os moradores mais antigos, por ser realizada logo depois do Natal, a cavalhada é tida como uma visita dos Reis Magos ao Menino Jesus.

Bon Odori

O Obon é uma tradicional festividade japonesa que tem sua origem no Budismo. A festa simboliza gratidão pela boa colheita e celebra as almas dos antepassados através da dança, o Bon Odori, ao som dos tambores típicos japoneses (taiko), das flautas de bambu (fue) e do canto em estilo minyo.

A dança consiste em movimentos delicados e simples com cinco gestos básicos: colher, ceifar, semear, agradecer e festejar. No Brasil, o Bon Odori difundiu-se através dos imigrantes japoneses que desejavam dar continuidade às tradições de sua terra natal, existindo atualmente diversos grupos espalhados por todo o país.

O Bon Odori de Atibaia existe há mais de 40 anos e foi fundado pelos imigrantes da província de Fukushima, que fazem parte da Associação Fukushima Kenjin de Atibaia. Atualmente, o grupo faz apresentações em diversas cidades e conta com a participação de jovens nikkeis e integrantes sem descendência nipônica.

Em Atibaia, o Bon Odori costuma se apresentar principalmente em Junho (Festival de Bon Odori no Pátio do Mercado) e Setembro (Festa das Flores e Morango de Atibaia).

 

 

Veja os roteiros em Atibaia

ARES RURAIS DE ATIBAIA

Conhecer uma tipica fazenda paulista e, em seu alambique de muitas estórias, sentir os aromas da fina cachaça fabricada artesanalmente no local e apreciar a boa comida servida no fogão.

Veja outros roteiros

Siga o Atibaia Tour nas mídias sociais